quarta-feira, 15 de julho de 2020

Severino Cavalcanti, ex-presidente da Câmara dos Deputados, morre no Recife aos 89 anos

Segundo o site https://g1.globo.com/pe/pernambuco:   Deputado federal por três mandatos renunciou em 2005 em meio ao escândalo do 'mensalinho'. Enterro do ex-parlamentar ocorre nesta quarta-feira (15), em João Alfredo,
  Morreu nesta quarta-feira (15), aos 89 anos, Severino José Cavalcanti Ferreira, ex-presidente da Câmara dos Deputados. O falecimento ocorreu durante a madrugada, no apartamento dele no bairro de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife.                                                                                                                                                    O enterro está previsto para ocorrer às 15h, na cidade de João Alfredo, no Agreste de Pernambuco, onde ele nasceu. Devido à pandemia da Covid-19, não vai haver velório.Severino Cavalcanti durante mandato na Câmara dos Deputados — Foto: Reprodução / TV Câmara Segundo pessoas próximas à família, Severino Cavalcanti era diabético e sofreu uma queda em 2019, quando fraturou o fêmur e a bacia. Uma cirurgia seria necessária, mas não foi feita devido à diabetes. "Ele estava dormindo na hora. Foi uma morte tranquila", disse um dos filhos de Severino Cavalcanti, José Maurício Cavalcanti, ao G1.                      Severino Cavalcanti foi deputado federal por três mandatos: entre 1995 e 1999, entre 1999 e 2003 e entre 2003 e 2007.                                                    Ele renunciou ao último mandato em 21 de setembro de 2005 como desdobramento da denúncia de que cobrava propina de R$ 10 mil por mês do dono de um dos restaurantes da Câmara, no caso conhecido como “mensalinho”. Nesse mesmo ano, havia sido presidente da Câmara entre os meses de fevereiro e setembro.     Além da atuação como deputado federal, Severino Cavalcanti também foi deputado estadual por sete mandatos, entre os anos de 1967 e 1995. Entre 1964 e 1966, foi prefeito de João Alfredo. O ex-parlamentar retornou à gestão do município entre os anos de 2009 e 2012.

Severino Cavalcanti, ex-presidente da Câmara dos Deputados, era natural de João Alfredo, em Pernambuco — Foto: Reprodução/TV Globo“A partida do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Severino Cavalcanti, deixa uma lacuna, principalmente para nós que fazemos o Progressistas e temos sua trajetória como referência. Vai deixar saudades naqueles que o conheciam de perto. Que Deus conforte seus familiares e amigos”,

       Biografia:      Filho de João Vicente Ferreira e Maria Amélia Cavalcanti Ferreira. O primeiro partido a que Severino pertenceu foi a União Democrática Nacional (UDN). Pela UDN, foi prefeito de seu município natal em 1964, deputado estadual em Pernambuco de 1967 a 1995 e federal de 1995 a 21 de setembro de 2005 quando renunciou ao mandato que ocupava para escapar de um processo de cassação.

Em 2005, então deputado federal, concorreu à presidência da Câmara dos Deputados, embora se acreditasse que o candidato oficial do Governo LulaLuís Eduardo Greenhalgh, seria o vencedor. Analistas políticos acreditam que a crise interna pela qual o governo passava levou à vitória de Severino Cavalcanti, cuja candidatura era considerada menos expressiva.
É conhecido por suas posições polêmicas sobre diversos assuntos, as quais têm desagradado setores da sociedade que o consideram "anacrônico": é contrário à prática do aborto e à homossexualidade em geral (desde o beijo homossexual em público até a união civil entre duas pessoas de mesmo sexo, passando pela Parada do Orgulho GLBT). Já colocou-se em várias ocasiões como o representante dos católicos no Congresso, talvez para obter os votos dessa parcela da população brasileira. Também defendia constantemente o aumento nos salários dos parlamentares nas várias legislaturas que participou.

Já foi segundo vice-presidente e primeiro-secretário da Câmara dos Deputados e ocupou a corregedoria da Câmara por duas vezes. Entre os diversos projetos de sua autoria, estão o que acaba com a imunidade parlamentar para crimes comuns e o que institui o salário "mãe-crecheira", destinado a mulheres carentes com filhos menores de seis anos.        

Nenhum comentário:

Postar um comentário