segunda-feira, 13 de julho de 2020

Demanda cai e Pernambuco zera filas de UTI para pacientes com Covid-19

Segundo o site https://www.cnnbrasil.com.brO Estado de Pernambuco anunciou que zerou as filas de UTIs para pacientes com Covid-19. Segundo o próprio governo, no mês passado as filas de espera por leitos nos hospitais chegaram a contar com 300 pessoas.Demanda cai e Pernambuco zera filas de UTI para pacientes com Covid-19Nesta primeira semana de julho, a Central de Regulação de Leitos informou que o sistema de saúde já possui atendimento imediato às demandas de internações por causa do novo coronavírus. 
O secretário estadual de Saúde, André Longo, ressaltou que as unidades também têm os equipametnos necessários para o tratamento dos pernambucanos infectados. “Todas as nossas salas vermelhas das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e das emergências hospitalares contam com suporte de oxigênio e respiradores, quantidade que foi reforçada durante os preparativos da rede para enfrentar a pandemia", disse. 
O Governo de Pernambuco disponibilizou até o momento 1.543 leitos, em 20 municípios das quatro macrorregiões de saúde do estado. Ao todos, são 688 vagas de UTI e 855 vagas de enfermaria. Já na capital, a prefeitura abriu sete hospitais de campanha, disponibilizando nos últimos dias cerca de 100 leitos, que resultaram em 864 novas vagas - 212 de UTI e 652 de enfermaria.
“Além desse grande esforço de abertura de leitos, a marca que alcançamos hoje é fruto da decisiva colaboração dos pernambucanos, que entenderam a mensagem e adotaram um isolamento social mais rígido e medidas de proteção e de distanciamento que precisam continuar sendo seguidas com a reabertura gradual das atividades, a partir desta segunda-feira (08.06)”, afirmou o secretário.
As duas últimas semanas tiveram redução considerável de internação por Covid-19. Em meados de maio foram cerca de 2,1 mil demandas por internação, enquanto na última semana esse número caiu 30%, chegando a 1,4 mil. Também houve decréscimo da curva epidêmica e da taxa de transmissão. Nas 15 UPAs estaduais foi registrada redução de cerca de 60% nos atendimentos a pacientes com quadros de dificuldade respiratória, em comparação com o mês de maio passado. Isso significa uma queda de 393 pessoas atendidas entre os dias cinco de maio e cinco de junho. 
Nos próximos dias, segundo André Longo, a expectativa é reduzir a taxa de ocupação dos leitos dedicados a pacientes do novo coronavírus, que atualmente é de 76%, sendo de 62% leitos de enfermaria e 96% nos leitos de UTI.

Nenhum comentário:

Postar um comentário