segunda-feira, 11 de maio de 2020

Após mais de um ano e meio da facada em Bolsonaro, assunto volta a ser o mais comentado em rede social: #QuemMandouMatarBolsonaro

Segundo o site https://portalbr7.comNesta segunda-feira (11), cidadãos através das redes sociais voltaram a debater o assunto mais polêmico e repulsivo recente no cenário político, que foi o atentado contra a democracia e a vida do então candidato a presidência da República, Jair Messias Bolsonaro.           Após mais de um ano e meio da facada em Bolsonaro, assunto volta a ser o mais comentado em rede social: #QuemMandouMatarBolsonaro    O tema voltou a ganhar grande repercussão após mais de um ano e meio do ocorrido, após um debate no programa matinal “Aqui na Band”, que voltou a falar sobre o marco nas eleições de 2018. No momento em que essa matéria estava sendo escrita, a hashtag #QuemMandouMatarBolsonaro estava em primeiro lugar dos Trending Topic’s do Twitter nacional.
Tanto o presidente quanto pessoas próximas a ele, como seus filhos e aliados, não acreditam na possibilidade do criminoso Adélio Bispo ter agido sozinho, assim como apontava uma investigação da Polícia Federal. Para Carlos – filho do Chefe de Governo – a tentativa de assassinato foi encomendada, e portanto, o terrorista não agiu só.
É falta de caráter achar que Adélio agiu sozinho e que seria doente mental diante de tantas evidências. É óbvio que há peixe grande nesse crime e está sendo acobertado. O que diria Sérgio já que agora está tão ativo, pelo menos na internet?” disse o vereador, aproveitando para alfinetar o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro
Bolsonaro foi esfaqueado e quase perdeu sua vida no dia 6 de setembro de 2018, durante um ato de campanha em Juiz de Fora/MG. Na ocasião, Jair estava nos braços do povo recebendo todo o caloroso apoio, quando repentinamente, Adélio proferiu a lâmina sobre o seu abdômen. O presidenciável ficou entre a vida e a morte, e precisou ficar internado por algumas semanas. Houve também a necessidade do mesmo ser ostomizado.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário