sexta-feira, 20 de março de 2020

Coronavírus: quais medicamentos são esperança no combate

Segundo o site https://noticias.r7.comMedicamentos contra malária, ebola, HIV e doenças autoimunes estão sendo testados no combate a epidemia de coronavírus                                 Coronavírus: quais medicamentos são esperança no combate                                                              A comunidade científica mundial tem corrido contra o tempo para barrar os avanços do coronavírus, que até esta sexta-feira (20) já ultrapassou 245 mil casos e 10 mil vítimas fatais em todo o mundo. Uma vez que a vacina contra a doença levará pelo menos um ano para ser desenvolvida e comercializada — segundo estimativa do vice-presidente da Sanofi Pasteur, David Loew —, os esforços imediatos estão concentrados no desenvolvimento de medicamentos para combater o SARS-covid-2, que causa a covid-19. 
Acompanhe, a seguir, quais medicamentos já foram testados e quais os efeitos sobre o coronavírus: 
Cloroquina e Hidroxicloroquina
Geralmente usados para o tratamento para combater a malária e doenças autoimunes, a cloroquina e hiroxicloroquina ganharam atenção mundial após o presidente dos Estados Unidos Donald Trump anunciar a aprovação da droga em pacientes com covid-19.
Um estudo publicado por pesquisadores chineses na revista Nature mostrou que a os testes com a cloriquina têm se mostrado promissores no combate ao coronavírus. No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) fez ressalvas à aplicação do medicamento. Na quinta (19), o Ministério da Saúde desaconselhou que a população comprasse as substâncias para automedicação. 
Kaletra
Nesta semana, a Organização Mundial da Saúde incluiu o Kaletra em um teste multinacional de busca de tratamentos contra a Covid-19. A combinação dos medicamentos antivirais lopinavir e ritonavir é geralmente usada para tratar HIV e tem efeitos no sistema imunológico do paciente. 
Apesar das pesquisas, um estudo publicado na quarta (18) pelo New England Jornal of Medicine sugeriu que a combinação de drogas não se mostrou eficiente no tratamento da doença. 
Favipiravir
Produzido com o nome de Avigan, o medicamento japonês contra gripe foi testado em 340 pacientes na China. Na última terça (17), o membro do ministério da Ciência e Tecnologia Zhang Xinmin, a substância seria "claramente eficiente no tratamento". 
Em entrevista ao The Guardian, Xinmin explicou que o uso do medicamento teria melhorado a capacidade pulmonar de 91% dos pacientes em teste.
Remdesivir
Desenvolvido originalmente para o tratamento de ebola, a droga passa por testes clínicos na China. Um estudo publicado pelo JP Morgan mostrou testes promissores na inibição do covid-19 com baixos níveis de toxicidade para a própria célula. 
Interferon beta
A empresa britânica de biotecnologia Synairgen recebeu aprovação para testar um medicamento à base de Interferon beta, uma molécula que faz parte do mecanismo de defesa do pulmão para combater o vírus.
Em entrevista ao Science Media Center, Ian Hall, professor de medicina molecular da Universidade de Nottigham explicou que a ideia do tratamento é "fornecer mais dessa molécula ao pulmão, o que poderia ajudar a reduzir a gravidade da infecção pelo covid-19, especialmente naquelas pessoas que reduziram as respostas imunes ao vírus."

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário