quarta-feira, 25 de março de 2020

China compra empresas brasileiras: até uma emissora, com o aval e sociedade de Dória.

Segundo o site https://sp-mex.wixsite.comO improvável e inadmissível, por ser contra a nossa Constituição Federal, aconteceu no final do ano passado:                                                                          o Governador do Estado de São Paulo, João Doria, assinou a autorização, a concessão, de uma emissora de televisão, a BAND (TV Bandeirantes), a uma empresa pertencente ao Governo autocrático e comunista chinês. Ah não! Espere! O termo não é concessão, e sim cooperação? O contrato entre a Band e a China Media Group "prevê produções conjuntas e compartilhamento de conteúdo com o objetivo de reforçar a cooperação e promover o desenvolvimento das relações entre os dois países", e não é na prática concessão?

Você e eu não ouvimos errado: a TV Bandeirantes agora tem um sócio majoritário, que é a China Comunista. Caso queira verificar que NÃO se trata de notícia falsa (Fake News), acesse: "Band e China Media Group fecham acordo de cooperação. Frutos do acordo serão exibidos no BandNews". Publicado em 11/11/2019, por FELIPE BRANDÃO. A fotografia a seguir pertence ao mesmo link. Postei para você se "encantar com a fisionomia dos parceiros": belos sorrisos, não acha? sejamos superficiais. Vamos entender o processo todo?


FAZENDO UM PARÊNTESE HISTÓRICO.

Faz tempo que usam a influência cristã que o brasileiro tem para enganá-lo. Digo influência, e não formação, pois se trata de desinformação recebida pelos cristãos para serem mais facilmente dominados.

Primeiro, a Revolução fez as autoridades eclesiásticas acostumarem-se com o luxo e abusarem; posteriormente, dividiu a Igreja; de retaguarda, acusou os cristãos de homicidas por meio de uma história muito mal contada da Inquisição, a fim de que sentíssemos culpa e vergonha; e como réus, inverteu o jogo acusando-nos e matou-nos aos milhares por meio de Napoleão e das guilhotinas...

Então veio a maldita Primeira Guerra Mundial, que transformou homens puritanos em drogados, psicóticos e mundanos... Em consequência, por falta de homens suficientes, colocou a mulher na linha de combate, iludindo-a com uma falsa liberdade sob esta base: o generalizado abuso de autoridade do marido corrompido... Com isso, tiveram vergonha de serem esposas e mães; e, com isso, o número de cristãos por nascimento e formação sólida caiu vertiginosamente.

Com menos filhos e menos tempo para a família, a casa foi se desmoronando por dentro. E cada vez mais cansados, ficamos tão iludidos e com um sentimento de culpa tão grande que conseguiram o que queriam: culpar a Igreja pela culpa que a Revolução lhes incutiu - tano por meio das escolas, como a incluir os malditos revolucionários de dentro da Igreja, inimigos internos dela; e, no quotidiano industrial, causaram-nos um estresse massacrante que se encontrou com um ateísmo prático escondido sob a máscara de uma fé decadente, acusada - agora, com razão - de hipocrisia e dissimulação. Por quê? Para nos apresentarem, por meio de novidades, pão e circo, a compensação instintiva: "canso; logo, quero descansar". E foi assim que criaram a insaciável sede por entretenimento, que vai se transformando em cultura; e, claro, desprezo pelo que é sagrado, uma vez que este não faz mais parte de sua vida. Afinal, quem pode amar o que não se identifica?

Primeiro, os valores medievais que incentivava a vida em comunidade são satirizados e trocados pelo renascer dos valores individuais da Roma Antiga. A racionalidade renascentista, então, perde sua luz para o rococó barroco, cujo exagero pretende-se ao liso completo. E exaustos e irrefletidos, incertos e ansiosos por mudanças, cria-se a atmosfera ideal para que viessem os nazistas, os fascistas e os socialistas; e contra eles, supostos e verdadeiros heróis, entre os quais os derradeiros trouxeram-nos este slogan de Hollywood: os americanos são a solução. Observe: não se fala de imitar virtudes, evitando os vícios, e sim do pacote completo. Ora, de fato, quem pode negar que, historicamente, os nazistas poderiam ter vencido a Segunda Guerra se não fossem os americanos?

Vendeu-se a ideia, assim, sofisticamente, de que a Fé deveria ser substituída pela tecnologia. Uma permuta subentendida. E o verdadeiro Heroísmo, a virtude de homens e mulheres da Cruz de Cristo, era substituído definitivamente por homens musculosos e charmosos, ao lado de mulheres bem maquiadas, corpos torneados e pernas à mostra. Coisas boas que eram más daquela forma. Mas quem tinha condições de analisar tudo assim friamente?

Os chamados conservadores unitivos-criativos? Cada vez mais marginalizados. Para que precisamos de homens e mulheres castos, se podemos ter quem e quantos ou quantas quisermos? Foi assim que a esfera da felicidade abandonou o campo da virtude e rebaixou-se ao cada vez mais básico instinto. A calculadora, a régua e a balança, finalmente, tinham tomado lugar do transcendente, da filosofia e do eterno. A vadia e escravagista modernidade se assentava no trono da Fé, da Esperança e da Caridade. Aliás, falando-se em caridade, esta foi trocada por mera filantropia, como se para ser inteligente era necessário ser não racionalmente sábio, mas racionalista; niilista, moralmente cretino.

Percebamos que não se trata de uma arquitetura histórica qualquer, pensada sem mais nem menos. A lesma não se transformou em centopeia sem razões que não as julgássemos legítimas. Não foram mentiras que só passam rasteiras em ingênuos. Longe disso! Mentiras todas, absolutamente todas - umas mais simples, outras mais complexas -, mas acompanhadas de fatos: curiosamente, sempre depois de um indício, de um sinal, um pressagio de forte tensão. Os "salvadores" vinham, com suas qualidades e defeitos, infelizmente, substituir o Salvador. É o mecanismo da paixão: primeiro, intensifica-se uma emoção e em seguida conquista-se os emocionados. Tudo ventral.

Que coisa! Como essa gente é inteligente para misturar o bem e o mal, a fim de que comamos e bebamos coisas envenenadas acompanhadas de boa aparência e até bons nutrientes! Todavia... o que acontece com alguém se comer coisas boas com pitadas de venenos em doses mortais sobre elas? E se essas doses não forem mortais, mas apenas aleijarem? Talvez, estejamos aleijados... Quem pode dizer o contrário se usarmos isto em sentido metafórico, diante de tanta miséria ética e moral, desinformação, pânico dos bons e podre ousadia dos maus?

DONA MARIA.

Eu super-apreciava conversar com minha bisavó, Dona Maria Gagliardi, cuja infância acontecera quando havia ainda escravidão no Brasil, imagine. E é como testemunha ocular da História que ela me contara sem malícia, e com os paradigmas dela, a essência de tudo o que vos escrevo... E, quem sabe, o mais incrível possa ser encontrado numa de suas exclamações, quando eu tinha ainda 19 anos, em 1993: "só falta agora a China se juntar à Rússia e ambos dominarem o mundo". Duas décadas e seis anos se passaram... Que tal? DR. PLINIO. O curioso é que no Brasil havia um homem inteligentíssimo, nobre (no sentido mais católico da palavra), para lá de virtuoso, que apontava todas as tendências da História para esse caminho e muito além. O nome dele? Plinio Corrêa de Oliveira (São Paulo, 13 de dezembro de 1908 — 3 de outubro de 1995), conhecido por Dr. Plinio. A mãe dele, Dona Lucília Ribeiro dos Santos Corrêa de Oliveira, (assim como São Galvão e Fernão Dias), tem parentesco com minha avó do outro lado da família, mãe de minha mãe: Dona Conceição, da família Sousa Ferraz, que veio com D. João para servi-lo no Brasil.

Este varão - às vezes, até mal confundido com outros Plinios bem menos conservadores, como é o caso do P. Salgado, que não tem nada a ver com ele - pediu a ajuda de seus compatriotas brasileiros, falou das mensagens de Fátima, do perigo do Comunismo no Brasil que se agigantava sob o solo de nossa pátria tão gentil! Dizia que o Comunismo não havia morrido como a imprensa e o senso comum o afirmavam, e sim que tinha se disfarçado. E o que aconteceu? Muitos o ouviram, mas a maioria o tomou por exagerado, incluindo muitos fazendeiros, onde se listavam também meu pai e meu padrinho, na época proprietários da Uniplan (maior empresa de Planejamentos Agrícolas da região noroeste do Estado de São Paulo, encerrada por mudança de Lei, no final da era militar). Porém, meu avô, Américo R. Cardoso, na época também pecuarista e importante acionista do Banco Itaú, uns cinco anos anos antes de morrer, desculpou alguns que não lhe deram crédito desta forma:

"Como mariano, menino, posso-lhe dizer que Dr. Plinio não era apenas inteligente. Pergunte-se como alcançar as vistas de um ungido, um profeta, de quem vê além! Eu leio, todos os dias, todos os jornais sobre Economia para aplicar corretamente; e ainda assim há dias que perco. Ele não errava. Este homem falava com Deus e Deus com ele. Então, desculpe ao menos em parte os que desconfiaram das precauções dele. Sorte minha, bênção pra mim, que o tenha apoiado financeiramente."

Seja como for, os mensageiros contra-revolucionários liderados pelo grande professor da Faculdade de Direito São Francisco (USP) e Presidente dos Marianos, Dr. Plinio, eram chamados de agentes de "lavagem cerebral", enquanto na verdade os sequazes revolucionários, rindo de nossa confusão e torpor tecnológico, dominavam cada vez mais sua mortal inimiga, a Igreja Católica, continuando a ampliar fartamente suas panelas no subsolo intelectual, como formigas do inferno.

O pessoal da Teologia da Libertação o caluniava intensamente, dizendo, por exemplo, que "ele se autointitulava Papa" para que ele sequer fosse ouvido pelos fiéis, já que se o ouvissem teriam chance de entenderem a podre realidade que se aproximava de baixo para cima e ao mesmo tempo, veladamente, no tocante ao clero latino-americano, de cima para baixo.

Lembro-me, por exemplo, de ouvir pessoalmente dele, na década de 90:

"O PSDB e o PT são farinha do mesmo saco e vão tentar dominar o Brasil sob a mesma batuta, alternando ou fingindo alternar o poder. E se isso acontecer, vai ser difícil detê-los; de sorte que se isso acontecer e não for desfeito logo - e eu lhes digo que será um milagre desfazer essa trama -, o Brasil tem grandes chances de se tornar comunista de uma vez por todas e Deus nos punirá por omissão e moleza. Deus nos livre disso". 

Quem pode dizer que isso não aconteceu ou pode ainda se persistir sob outras siglas que até então não existiam? Há muitos escritos deste grande homem e recomendo-vos a leitura.

RETOMANDO A CHINA.

Assim, voltando ao tema inicial, vem-me com clareza que a imprensa brasileira, infelizmente, embriagada de relativismo e envolvida pela gosma do mais selvagem instinto de preservação, vendeu-se para a China.

A China vem comprando empresas brasileiras há muito tempo. É dona até de uma emissora no Brasil, coisa que não é permitido por Lei: a Band (segundo consulta no Google, RÁDIO E TELEVISAO BANDEIRANTES S.A., CNPJ. 60.509.239/0006-28). E nós sabemos que o que manda no mundo é o dinheiro, quem paga. Motivo pelo qual estamos vivenciando a surrealidade da imprensa pedindo desculpas para a China por dizermos que o vírus é chinês. É mesmo chinês! É de onde ele vem! Da China! E agora sabemos que o Governo da China sabia do vírus e deixou sua gente se acumular, festejar o "ano novo" deles e sair do país (China) contaminando outros povos! Estima-se que saíram mais de 300 mil chineses para outros países!

A Itália está sendo dizimada! A Espanha está indo para o mesmo caminho. A Inglaterra e os EUA se assustaram e tomaram novo caminho preventivo. E agora o mega prejuízo para o Brasil. Tudo fechado. Querem quebrar quem eles querem comprar! Ora, quem tem que pedir desculpas é o Embaixador da China! Fiquem espertos! O inimigo não é só biológico. É cultural, político, religioso e, claro, econômico. Essa é sim uma Guerra Mundial, cinicamente iniciada pela China. Não é verdade? É só uma teoria?

Que a China pague pelo que fez!

Vídeo complementar, exclusivamente sobre o dragão-gafanhoto chinês, no Brasil:

Nenhum comentário:

Postar um comentário