sábado, 17 de agosto de 2019

Crianças entre seis meses e menos de 1 ano devem ser vacinadas contra sarampo em nove cidades

Segundo o site https://g1.globo.com/pe/pernambucoMedida foi anunciada pela Secretaria de Saúde, nesta sexta-feira (16), um dia depois de Pernambuco confirmar os quatro primeiros casos da doença em Pernambuco.
Um dia depois de confirmar os quatro primeiros casos de sarampo em 2019, o governo de Pernambuco divulgou uma nova orientação para vacinação de crianças entre seis meses e menos de um ano de idade. Nesta sexta-feira (16), a Secretaria Estadual de Saúde justificou que, por causa do “cenário epidemiológico”, a medida deve ser implementada em nove cidades do estado. (Veja vídeo acima)

Na quinta-feira (15), a secretaria informou que exames laboratoriais feitos na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, confirmaram dois casos de sarampo no Recife e dois, em Caruaru, no Agreste.
Todos têm relação com uma excursão realizada em julho, deste ano, aPorto Seguro, na Bahia. O governo investiga outros cinco casos envolvendo integrantes do grupo que fizeram essa viagem.
Essas investigações ocorrem em pessoas do Recife, Olinda, e Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana, além de duas em Bezerros, no Agreste. Todos passam bem. Os casos estão conectados a um paciente positivo de São Paulo, monitor da viagem.
Com a medida, o estado orienta a vacinação na nova faixa etária nas cidades que tiveram casos confirmados. Também são atingidos sete municípios do Grande Recife, Agreste e Sertão, onde há investigação rotineira de ocorrências.  Vejas as cidades que devem seguir a orientação:
Segundo a secretaria, essa medida é considerada uma “dose extra”. Portanto, o calendário normal de imunização deve ser seguido pela criança, com necessidade de nova vacinação a partir dos 12 meses e reforço aos 15 meses.
A secretaria ressalta também que devem ser vacinadas, com no mínimo 15 dias de antecedência, crianças entre seis meses e menores de 1 ano que vão viajar para municípios de outros estados com transmissão ativa de sarampo.
Entre os destinos apontados pelo Ministério da Saúde estão São Paulo, Rio de Janeiro e Pará. Nesses casos, também será necessário seguir o esquema de vacinação normal a partir dos 12 meses.

Notificações

Este ano, a secretaria recebeu 132 notificações de casos suspeitos de sarampo, com 74 descartes e 54 que ainda estão em investigação. Do total, 69 (52%) foram realizadas nas semanas após o caso relacionado a Porto Seguro.
A notificação desses casos é importante para garantir o acompanhamento da possibilidade de circulação do vírus da doença no estado.
Em 2018, das 213 notificações, 209 foram descartadas e quatro, confirmadas. Todas elas foram relacionadas a um paciente com histórico de viagem para Manaus (AM), área com circulação do vírus na época.
Em 2017, foram 45 notificações. Em 2016 o estado fez 39 registros, mas todos foram descartados.

Sintomas

A secretaria informa que é preciso prestar atenção nos sintomas do sarampo. São eles: febre, manchas avermelhadas, que começam na cabeça e vão descendo para o restante do corpo, tosse e/ou coriza e/ou conjuntivite.
Esse cuidado deve ser tomado sem levar em conta a idade ou se a pessoa tomou vacina alguma vez.
Também é preciso ficar em alerta para casos de pessoas com história de viagem para locais com circulação do vírus do sarampo, nos últimos 30 dias, ou de contato, no mesmo período, com alguém que viajou para local com circulação viral.                                                                                                                              A notificação de caso suspeito de sarampo é obrigatória. Apresentando essa sintomatologia, é importante ir ao posto de saúde mais próximo para receber a devida assistência.                                                                                                    

Vacina

A vacina tríplice viral protege contra sarampo, rubéola e caxumba e está disponível de rotina nas salas de vacina dos municípios.
Em 2019, em Pernambuco, até 27 de julho, 85% das crianças com 1 ano fizeram a primeira dose da tríplice viral e 63%, a segunda. A meta mínima é de 95% de cobertura, levando em conta o público de todas as idades.
A imunização deve seguir o seguinte esquema:
  • Indivíduos de 12 meses a 29 anos de idade: duas doses de tríplice viral com intervalo mínimo de 30 dias entre elas.
  • Indivíduos de 30 a 49 anos de idade não vacinados: uma dose de tríplice viral.
  • Profissionais de saúde não vacinados: duas doses com a vacina tríplice viral independente da idade, com intervalo mínimo de 30 dias entre elas.
  • Ainda é indicada a vacinação de crianças de 6 meses a menores de 1 ano que vão se deslocar para municípios que apresentam surto ativo de sarampo. A imunização deve ser feita pelo menos 15 dias antes da viagem.
    

SARAMPO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bolsonaro acaba com o DPVAT, o seguro do trânsito

Segundo o site  https://www.esmaelmorais.com.br :  O presidente Bolsonaro anunciou nesta segunda-feira (11) a extinção do seguro obrigatório...