Rodoviários realizam protesto no Centro do Recife

Segundo o site https://jconline.ne10.uol.com.br: Os rodoviários fazem parte do grupo Família Rodoviária e pedem aumento maior que 4%
Nesta quinta-feira (18) está marcada uma assembleia para que os motoristas e cobradores do Grande Recife
Foto: JC
JC Online
Atualizado às 08h52
Um grupo de rodoviários realizou um protesto, na manhã desta quarta-feira (17), no cruzamento da Avenida Conde da Boa Vista com a Rua da Aurora, no bairro da Boa Vista, na área Central do Recife. Devido à manifestação, os dois sentidos da Avenida foram interditados e vários ônibus ficaram estacionados na via. Os motoristas e cobradores, pertencem ao grupo Família Rodoviária. Nesta quinta-feira (18) está marcada uma assembleia para que os motoristas e cobradores do Grande Recife decidam se vão ou não aceitar a proposta de reajuste salarial.

Assembleia

O encontro, nesta quinta, está marcado para as 10h, na sede do Sindicato dos Rodoviários, que fica no bairro de Santo Amaro, na área Central do Recife. Na proposta, apresentada durante terceira reunião de negociação, foi oferecido reajuste de 4% no salário e 12% de aumento no tíquete alimentação. No ano passado, o reajuste salarial também foi de 4%. O Sindicato dos Rodoviários indicou que aceitaria a proposta.


Apesar de a aceitação do Sindicato, grupos de oposição não aceitam a proposta. O Família Rodoviária, que realiza o protesto na manhã desta quarta, pede um reajuste maior do que 4%. Eles também são contrários à demissão dos cobradores. A proposta dos empresários é de que o aumento para os motoristas que acumulam as duas funções seja de R$ 100 para R$ 135. "O ponto principal é a não retirada dos cobradores. Estamos exigindo ao Governo do Estado o cumprimento da promessa da não retirada dos cobradores. Está havendo muito estresse dos motoristas pelo acúmulo de função", declara Elisson Ferreira.
"Ouvimos do setor empresarial que esse era o máximo que poderiam chegar. No início da reunião, apresentaram um reajuste de 3,5% para o salário e de 8% a 10% para o tíquete. Ainda conseguimos avançar para conseguir um pouco mais. É claro que a decisão é da categoria e iremos levar para ela decidir em votação, mas avaliamos que será muito difícil ir além disso. Na Justiça, no caso de um dissídio, corremos o risco de ficar com muito menos, como aconteceu em 2017", afirmou Benilson Custódio, presidente do Sindicato dos Rodoviários, em entrevista ao blog Move Cidade.

Comentários