terça-feira, 9 de julho de 2019

GDF abre licitação de R$ 5 milhões para lavagem de roupas de presos na Papuda

Segundo o site https://g1.globo.com:
Pregão eletrônico é para compra de máquinas de lavar, secadoras, balanças e carros. Sistema penitenciário abriga 16,6 mil detentos.
O governo do Distrito Federal abriu uma licitação para compra de equipamentos de lavagem e secagem de roupas de presos no Complexo Penitenciário da Papuda. A aquisição terá custo de R$ 5,8 milhões.
O pregão eletrônico, divulgado no Diário Oficial desta sexta-feira (5), prevê a aquisição de máquinas de lavar, secadoras, balanças eletrônicas, mesas e carros para transporte das roupas de cerca de 16,6 mil detentos abrigados no sistema penitenciário.                                                                                  Papuda tem novo surto de sarna; Ministério Público do DF pede providências                                                                                                      Na cadeia, os internos usam camisas brancas e bermudas que recebem de familiares. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) não fornece uniforme aos presos.                                                                                                      
Com a instalação das lavanderias, a previsão é de que os próprios internos sejam responsáveis pelo serviço de lavagem, secagem e entrega das roupas.
Ambiente 'insalubre'
Atualmente na Papuda, de acordo com o presidente do Sindicato dos Agentes Socioeducativos do DF, Paulo Silva, os internos lavam e estendem as roupas dentro das celas, "apesar de ter um espaço reservado do lado de fora para isso", explica.
Por causa da falta de luz no local, Silva alerta para os riscos da proliferação de doenças. Segundo a entidade, a instalação da lavanderia "seria uma forma de diminuir o surto de doenças infectocontagiosas".
A previsão é de que os espaços de higiene sejam montados em alas do complexo penitenciário onde ficam presos já condenados pela Justiça.
Doenças de pele
Foto do portal do Sindpen mostrando imagens de detentos da Papuda com sintomas de doença infecciosa — Foto: Sindicato dos Agentes Penitenciários/Reprodução
Em 2017, mais de 2,6 mil presos da Papuda foram infectados com doenças de pele. O índice de infectados representava 17% da população carcerária.
Na época, um agente de polícia de custódia também foi infectado. De acordo com o Sindicato da Policiais Civis do DF (Sinpol), o servidor teria sido contaminado por algum preso que estava alojado na carceragem, destinada aos detentos do regime semiaberto.
De acordo com o GDF, houve registros de internos com escabiose, tineas, ptiríase e furunculoses em cinco unidades prisionais.
Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Governo estuda liberar até 35% do FGTS; desmatamento é prejudicial ao agronegócio e outras notícias

Segundo site  Boletim Diário do LinkedIn :  Governo estuda liberar até 35% do FGTS. Junto com a liberação dos recursos do FGTS, haverá ...