Agressões a manifestantes agravam crise em Hong Kong

Segundo o site https://www.diariodepernambuco.com.br: A agitação crescia em Hong Kong nesta segunda-feira, um dia depois dos violentos ataques contra manifestantes pró-democracia que deixaram dezenas de feridos e agravaram a crise que abala a antiga colônia britânica.

A onda de protestos começou em 9 de junho neste centro financeiro internacional e no domingo, pelo sétimo final de semana consecutivo, houve grandes manifestações.

Mas quando os manifestantes voltavam para casa, um grupo de pessoas, mascaradas e armadas com porretes e barras de metal, a maioria vestindo camisetas brancas, atacaram vários manifestantes em uma estação de trem em Yuen Long, no norte de Hong Kong.

Várias pessoas foram espancadas, incluindo jornalistas que transmitiram tudo ao vivo. De acordo com fontes médicas, 45 pessoas ficaram feridas, incluindo uma em estado crítico e cinco em estado grave. 

A polícia da ex-colônia britânica devolvida à China em 1997 foi muito criticada por ter levado mais de uma hora para chegar ao local, apesar dos pedidos de ajuda e por não ter prendido ninguém, apesar dos agressores permanecerem nas proximidades da estação até a madrugada.

Imagens transmitidas no Facebook mostraram homens vestindo camisas brancas fugindo do local em veículos que tinham placas chinesas.

Grupos criminosos 
Lam Cheuk-ting, um deputado democrata ferido no rosto e nos braços, criticou a reação da polícia e culpou as chamadas tríades, gangues criminosas de origem chinesa que operam na Cina e em Hong Kong.

Comentários