Acidente com embarcação deixa duas idosas mortas em Maragogi na manhã deste sábado

Segundo o site https://tribunahoje.com: Ainda não há confirmação se as 60 pessoas a bordo utilizavam colete salva-vidas

Um acidente envolvendo um catamarã deixou dois mortos durante um passeio na Praia de Maragogi, Litoral Norte de Alagoas, na manhã deste sábado (27). Equipes do Corpo de Bombeiros estiveram no local para fazer o resgate das vítimas. Informações oficiais dão conta de que pelo menos 60 pessoas estavam a bordo da embarcação.
A identificação dos corpos ainda não foi divulgada, mas trata-se de duas idosas, de 65 e 67 anos. Não há confirmação de desaparecidos e as buscas nesse sentido foram encerradas. As vítimas resgatadas foram levadas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Maragogi. De acordo com o sargento Milton, dos Bombeiros, três pessoas deram entrada em estado grave. Em atualização, a assessoria do Corpo de Bombeiros divulgou que, além das duas vítimas fatais, outras duas pessoas inspiram cuidados, uma com hipotermia e outra com pressão baixa.
Segundo informações atualizadas do Corpo de Bombeiros, o receptivo partiu de Maragogi, porém não é possível precisar ainda a distância da costa marítima. Catamarã teria batido em pedras e virado.
60 pessoas estavam a bordo de embarcação (Foto CB/AL)
A embarcação estava em direção as galés, uma das seis piscinas naturais em Maragogi. A cidade litorânea está com 90% dos hotéis ocupados.
Portaltribuna
Ainda não se sabe se todos que estava a bordo da embarcação estavam com coletes salva-vidas e se o catamarã estava com excesso de passageiros. 48 adultos, quatro crianças, duas palestrantes e seis tripulantes estavam na embarcação que virou.
A Marinha do Brasil informou acerca da ressaca do mar, onde as ondas poderiam chegar a 2 metros e meio de altura nas praias do litoral alagoano até às 9h deste sábado, devido as chuvas que caem no estado há semanas. Além disso, em outro comunicado, a Marinha, através da Capitania dos Portos de Alagoas, ressaltou que uma equipe de Busca e Salvamento foi enviada ao local para investigar o ocorrido e que um inquérito será aberto para apurar as causas, circunstâncias e responsabilidades do acidente.
Ano passado, o Ministério Público assinou um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) entre proprietários de embarcações e donos de restaurantes que exploram o serviço na região.
A Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Maragogi emitiu nota sobre o acidente. Confira abaixo na íntegra.
NOTA
A Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Maragogi vem a público esclarecer que o naufrágio de uma embarcação no dia de hoje, que provocou o óbito de duas pessoas, ocorreu em local cuja visitação não era permitida, tendo o proprietário do catamarã que afundou sido autuado por esta Secretaria em virtude dos passeios clandestinos que realizou mas que, ainda assim, de forma reincidente, desobedecendo dispositivos legais, insistiu em prosseguir ignorando até mesmo o Ministério Público.
Ao tempo em que externamos as nossas sinceras condolências às famílias vítimas desta lamentável tragédia, continuaremos na persecução em buscar os responsáveis pelo lamentável ocorrido e responsabilizá-los administrativamente na forma da lei, sem prejuízo das ações criminais que deverão enfrentar na esfera judicial.
Em nota assinada pelo advogado Renato Scalco, a Associação dos Proprietários de Catamarãs de Maragogi afirma que está em contato direto com as autoridades prestando socorro às vítimas e que a embarcação naufragada não possui autorização para o transporte de passageiros e estava operando de forma clandestina. Leia o posicionamento completo em seguida.
A Associação dos Proprietários de Catamarãs de Maragogi – APCM, a qual reúne empresas e pessoas físicas que realizam o transporte de passageiros com destino às piscinas naturais em Maragogi, vem, primeiramente, prestar o seu apoio aos passageiros, tripulação e seus familiares envolvidos nessa tragédia.
Nesse sentido, informamos estarmos em contato direto com as autoridades mobilizadas no socorro das vítimas, e prestando todo o apoio necessário, com meios logísticos e humanos.
Ademais, é de grande importância esclarecermos que o transporte aquaviário de passageiros realizado pelos membros da Associação seguem rigorosamente todas as regras de segurança e ambientais determinadas pela capitania dos portos em Alagoas, ICMBio e demais órgãos de controle.
Infelizmente, a embarcação naufragada NÃO POSSUI AUTORIZAÇÃO para o transporte de passageiros com destino às piscinas naturais, operando de forma clandestina.
A Associação em sintonia com as autoridades municipais vem atuando diligente e incansavelmente pelas vias judicial, por meio de diversas ações, e administrativa para coibir a atuação de embarcações irregulares.
Solidários com as vítimas, cumpre-nos frisar que o transporte aquaviário realizado em Maragogi por operadores credenciados e legalizados atendem a todos os mais altos padrões de segurança marítima e ambiental, sendo seguro e alinhado a ações de preservação ambiental inerentes aos objetivos da APA Costa dos Corais.
Renato Scalco
OAB/AL 12.450B
Advogado da Associação dos Proprietários de Catamarãs de Maragogi – APCM.
Nota do Corpo de Bombeiros
NOTA À IMPRENSA
O Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas, Por meio da Assessoria de Comunicação Social (ASCOM), informa que foi acionado, por volta das 11h10, do dia 27/07/2019, para uma ocorrência de naufrágio no município de Maragogi.
O 2º Grupamento de Bombeiros Militar, com suas equipes de prontidão, se deslocaram para o local com o intuito de realizar o salvamento, simultaneamente, foi acionado 02(duas) aeronaves Falcão 02 e Falcão 05, para agilizar a operação realizando resgates e possíveis buscas em caso de desaparecidos.
Utilizando os equipamentos que são adquiridos com a Taxa de Bombeiros, foi possível agilizar e dar qualidade no atendimento às vítimas, evitando assim um pior cenário para esta tragédia.
O Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas estará sempre pronto para dar a melhor resposta aos acidentes que venham a ocorrer, ao tempo em que solicita uma reflexão de todos para que foquem na prevenção aos possíveis acidentes.
587
Fonte: Tribuna Hoje / Ana Paula Omena l Claudio Bulgarelli l Bruno Martins

Comentários