quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Polícia Rodoviária Federal apreende carro roubado, maconha e carregadores de pistola 9mm. com homem que tentou atropelar policial.

Segundo o site
PRF São Paulo.
 A Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu na manhã de 31 de agosto, na altura do Km 425 da Rodovia Régis Bittencourt, em Juquiá/SP, um homem que tentou atropelar um policial rodoviário federal durante operação de fiscalização de trânsito.
Em ação conjunta, equipes da PRF de São Paulo e do Paraná realizavam abordagens de rotina na BR-116, próxima ao pedágio do Km 426, quando um dos agentes deu ordem de parada a um Honda Civic que seguia sentido São Paulo, oriundo do Paraná. 
Surpreendendo a equipe policial, o motorista do Civic desobedeceu a ordem de parada e inadvertidamente lançou seu veículo em direção a um dos policiais, no intento de atropelá-lo. O policial conseguiu evitar o atropelamento e imediatamente iniciou-se acompanhamento ao carro que atentou contra o agente da PRF.
Cerca de 500 metros à frente, o motorista do Honda Civic saltou do veículo ainda em movimento, fugindo em direção ao matagal localizado às margens da rodovia. A equipe policial então adentrou ao matagal para localizar e prender o motorista. Após quase duas horas de procura nas matas da região o indivíduo foi encontrado e preso por uma das equipes da PRF que participavam da busca.
No carro, que era roubado e usava placas clonadas de outro veículo idêntico, foram encontrados 100 carregadores de pistola 9mm. da marca Glock e 122 quilos de maconha (distribuídos em 125 tabletes).
O cidadão preso, o veículo roubado, os carregadores e a droga foram encaminhados à Delegacia de Polícia Civil de Juquiá.

Prazo para sacar R$ 880 de abono salarial acaba hoje; veja se tem direito

Segundo o site UOL economia :      Resultado de imagem para foto Prazo para sacar R$ 880 de abono salarial acaba hoje; veja se tem direitoO prazo para receber os R$ 880 de abono salarial referente a 2014 termina nesta quarta-feira (31). Após essa data, os recursos voltam para o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e o trabalhador perde o direito ao dinheiro.
Até esta terça-feira (30), mais de 1 milhão de pessoas ainda não tinham sacado o benefício, segundo o Ministério do Trabalho. O governo já prorrogou o prazo uma vez e não deve fazer isso novamente, segundo o ministério. 

Listas com nomes

O ministério fez uma lista com o nome dessas pessoas, mas seu site tem apresentado instabilidade. A lista pode ser acessada no UOL. Selecione seu Estado abaixo e clique para acessar a lista:
Cada documento está organizado em ordem alfabética --primeiro pelo nome das cidades e, depois, pelo nome dos trabalhadores. Para fazer uma busca, digite "Control" e "F", escreva o nome que deseja procurar e clique em "Enter". 

PIB cai 9 trimestres, pior marca desde 96, e economia encolhe 3,8% em 1 ano

Segundo o site UOLeconomia:Resultado de imagem para foto PIB cai 9 trimestres, pior marca desde 96, e economia encolhe 3,8% em 1 ano A economia brasileira vive sua pior sequência de quedas dos últimos 20 anos. O PIB (Produto Interno Bruto) caiu 0,6% no segundo trimestre em relação ao primeiro. Na comparação de um ano atrás, com o segundo trimestre de 2015, o PIB caiu 3,8%.
Nessa comparação anual, é a nona queda seguida. Em relação ao trimestre anterior, o PIB sofreu seu sexto recuo consecutivo. Em ambas as medições, trata-se da maior sequência de resultados negativos em 20 anos, desde 1996, quando se iniciou essa série histórica de dados.
As informações foram divulgadas nesta quarta-feira (31) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).
Em valores atuais, o PIB no segundo trimestre de 2016 alcançou R$ 1,5 trilhão.
No acumulado do primeiro semestre de 2016, a economia encolheu 4,6%. 
Em 2015, o PIB encolheu 3,8%, com resultados negativos nos quatro trimestres do ano. Bastam dois trimestres seguidos de recuo para se considerar que um país está em recessão técnica.

O QUE O PIB TEM A VER COM A SUA VIDA?

Indústria volta a crescer

Segundo o IBGE, a indústria mostrou expansão de 0,3% no trimestre passado sobre o anterior, interrompendo cinco sequências seguidas de contração. Os investimentos subiram 0,4% no período, depois de cair por 10 trimestres seguidos.
Do lado negativo, serviços e agropecuária tiveram quedas de 0,8% e 2% no período, respectivamente.
Em relação ao segundo trimestre de 2015, os três setores tiveram queda. A agropecuária encolheu 3,1%, a indústria, 3% e os serviços, 3,3%.

Consumo das famílias cai

consumo das famílias, no trimestre passado, caiu 0,7% sobre janeiro a março, em meio ao cenário de inflação e desemprego elevados. O consumo do governo, no mesmo período, caiu 0,5%.

PIB do 1º trimestre 

O IBGE informou nesta quarta-feira que a economia encolheu 0,4% no primeiro trimestre deste ano sobre o período anterior. O número foi revisado para mostrar um resultado pior que o de 0,3% de queda divulgado antes.

Sinais de recuperação?

"A recessão chegou ao fundo do poço no meio de 2016", disse à agência Reuters o diretor para a América Latina da Moody's Analytics, Alfredo Coutino, acrescentando que a economia deve começar a crescer novamente ainda antes do final do ano.
Mais de 1,7 milhão de brasileiros perderam o emprego nos últimos 12 meses. A crise custou ao Brasil o grau de investimento pelas agências de classificação de risco e ajudou a desestabilizar o governo de Dilma, que deve ser definitivamente afastada da Presidência nesta semana pelo Senado.
Os primeiros sinais de recuperação vieram da melhora na confiança dos consumidores e dos empresários, que saíram das mínimas históricas. 

Estimativas para o ano

O governo do presidente interino, Michel Temer, espera que o PIB encolha 3% neste ano e tenha crescimento de 1,6% em 2017.
Analistas de mercado consultados pelo Banco Central para o boletim Focus esperam queda de 3,16% na economia em 2016 e crescimento de 1,23% no ano que vem. 
No mês passado, o FMI (Fundo Monetário Internacional) melhorou sua previsão sobre o desempenho econômico do Brasil neste ano e no próximo. De acordo com o FMI, o Brasil fechará 2016 com o PIB em contração de -3,3%, previsão meio ponto melhor do que a de -3,8% anunciada pela mesma entidade em abril.
Para 2017, o Fundo adotou uma previsão de crescimento de 0,5%, também superior em meio ponto a expectativa de aumento nulo do PIB que havia expressado em abril.

O que é o PIB?

ENTENDA O QUE É O PIB E COMO ELE É CALCULADO

PIB é a soma de tudo o que é produzido no país. Os dados consideram a metodologia atualizada do cálculo.

Não se engane pela propaganda. O PT sai do poder deixando um país ainda duramente miserável.

Segundo o site Spotniks: Dilma Rousseff foi afastada do seu mandato como presidente reprisando aquilo que o seu partido vem insistindo em dizer nos últimos anos: que transformou um país miserável num lugar de dignidade, especialmente para os mais pobres. Só tem um problema nesse discurso: ele não é real. Longe do marketing político, o Brasil permanece onde sempre esteve – ainda miseravelmente pobre, sujo e ignorante.miséria4Talvez você não saiba disso, mas há mais de 25 milhões de brasileiros (uma Austrália) vivendo com uma renda domiciliar per capita inferior à linha de pobreza, e mais de 8 milhões (uma Suíça) vivendo abaixo da linha de extrema pobreza (ou seja, na indigência).Mais da metade das casas brasileiras vivem com até um salário mínimo. E pobreza está longe de ser o nosso único problema.                    Nós ainda somos um país terrivelmente ignorante. Segundo o IBGE, 39,5% das pessoas aptas a trabalhar no Brasil não possuem sequer o ensino fundamental e mais de 13 milhões de brasileiros são incapazes de ler um texto como esse pela única razão de serem analfabetos – e se você não faz ideia do que esse número significa, imagine que se somarmos a população do Uruguai, da Nova Zelândia e da Irlanda não alcançaremos a quantidade de analfabetos que existem por aqui. É muita gente.
E ainda há os analfabetos funcionais. Segundo um estudo publicado em fevereiro pelo Instituto Paulo Montenegro em parceria com a ONG Ação Educativa, 27% da nossa população pertence a essa categoria. Achou o número alto? De acordo com a pesquisa, apenas 8% dos brasileiros têm condições de compreender e se expressar plenamente (isto é, são capazes de entender e elaborar textos de diferentes tipos, seguindo normas gramaticais).
E não vá pensando que a língua portuguesa é o único dos nossos problemas. Segundoum estudo da ONG Todos Pela Educação, apenas 4,9% dos estudantes da rede pública saem do ensino médio com conhecimentos básicos em matemática. Em resumo: nós ainda não sabemos nos expressar direito, nem fazermos contas básicas de aritmética.
Na média, os nossos estudantes passam menos tempo numa escola que os estudantes do Irã e da Cisjordânia e os nossos professores recebem os piores salários do mundo – na penúltima posição no ranking da OCDE (no mesmo índice nós ainda“celebramos” a mais baixa média de pessoas com ensino superior e o terceiro pior índice entre os que completam o ensino médio). luazemcasa_not3746E educação é apenas uma amostra da nossa miséria. Se ela funciona muito longe do que é aceitável, com a saúde o cenário é ainda pior. Num índice elaborado pela Bloomberg que compara a expectativa de vida da população com o gasto em saúde, o Brasil está na última posição no ranking dos sistemas de saúde mais eficientes do mundo. Em geral, a nossa população sobrevive em hospitais públicos caindo aos pedaços, lidando com um número de médicos per capita muito abaixo do ideal, com falta de remédios e recursos.
Também possuímos gargalos de terceiro mundo no saneamento básico. Segundo dadosdo Ministério das Cidades, mais de 35 milhões de brasileiros não possuem acesso sequer ao abastecimento de água tratada. É como se houvesse um Canadá inteiro sem uma mísera torneira jorrando água dentro de casa. De acordo com o relatório, quase 100 milhões de brasileiros não possuem acesso nem à coleta de esgoto – e do esgoto coletado, apenas 40% é tratado. 17 milhões de pessoas (uma Holanda) não têm acesso à coleta de lixo (e nunca é demais lembrar que cada brasileiro produz, em média, 1 quilo de lixo por dia) e outras 4 milhões de pessoas (uma Croácia) não possuem sequer um banheiro em casa. Já imaginou? Eis o caos do cocô.
Também temos um déficit habitacional de 6,2 milhões de moradias (e aqui não estamos falando apenas da falta de residências, mas também de habitações em más condições), que afeta dezenas de milhões de pessoas, expostas às piores condições possíveis.
E se a infraestrutura micro é inoperante, a macro é praticamente inexistente. No índiceque mede a qualidade da infraestrutura de um país, organizado pelo Fórum Econômico Mundial, nós ocupamos o vergonhoso 120º lugar em 144 posições possíveis, atrás de países como Etiópia, Suazilândia, Uganda, Camboja e Tanzânia. Só pra se ter uma ideia, dos 29.165 quilômetros de malha ferroviária que o Brasil possui, apenas um terço é produtivo. Passados quase dois séculos, o número é equivalente ao período do Império no Brasil.
Num ranking elaborado pelo IPEA a partir da análise da qualidade do setor portuário, estamos na 123ª posição entre 134 países (todos os portos brasileiros somados movimentam menos conteineres que o porto de Hamburgo, na Alemanha). Em outro ranking, o dos países mais competitivos do mundo, estamos na 75ª posição, atrás de países como Irã, Marrocos, Ruanda e Cisjordânia – segundo o Fórum Econômico Mundial porque nossos sistemas regulatório e tributário são inadequados, nossa infraestrutura é deficiente e nossa educação é de baixa qualidade.
O resultado inevitável disso tudo? Pobreza e baixa qualidade de vida. Hoje quatro trabalhadores brasileiros são necessários para atingir a mesma produtividade de um trabalhador norte-americano (em 1980, um brasileiro tinha produtividade equivalente a 40% da de um americano; hoje, ela está em 24%). Há dez anos, em média, ganhávamos 50% a mais que os chineses – hoje ganhamos 20% a menos.1282517Rousseff-Dilma-Brasil-EFEE isso para não falar de segurança pública. Em 2014, nós registramos o maior número de assassinatos da nossa história: foram 59.627 homicídios. Visto de outra perspectiva, o crime mata mais no Brasil do que a guerra entre Israel e Palestina, e outros confrontos bélicos ao redor do mundo. Segundo o Atlas da Violência 2016, do IPEA, nós detemos o título mundial de assassinatos no planeta. Não é pouca coisa. A taxa de homicídios por aqui é quase três vezes maior daquela que a ONU classifica como ‘epidêmica’. Ou seja, nós estamos muito abaixo daquilo que já é considerado inaceitável.
Muito longe da prosperidade, Dilma encerrou 13 anos de Partido dos Trabalhadores no controle de um país que permanece duramente miserável, ignorante, sujo e violento. Apesar da propaganda oficial, num olhar distante das nossas paixões políticas sobre a realidade, o fato é que ainda estamos muito longe de mudarmos a nossa condição subdesenvolvida, apesar das tentativas de estancarem o sangue jorrado em nossas feridas com band-aids, enaltecidas pelo antigo governo.
A solução para resolver todos esses problemas? Certamente não virá da noite para o dia, como num passe de mágicas. Passará por reformas institucionais que abram o país para o comércio internacional, diminuam o inchaço da máquina pública, aumentem os investimentos em infraestrutura e ampliem os direitos de propriedade (e se você quer entender mais a respeito, dediquei quase 7 mil palavras para escrever sobre esse assunto nesse texto). 
Longe do populismo e perto dos bons incentivos econômicos.
Chegou a hora de finalmente entrarmos no século 21 e abandonarmos o marketing político como sinônimo de verdade.crowbanner

Congresso da União do Vereadores acontece na cidade de Triunfo

Segundo o site  http://adrianoroberto.blog.br :  A  União de Vereadores de Pernambuco – UVP  chega ao sertão pernambucano para realizar, na ...